14.2.17

Artigos

Captura de Tela 2016-04-20 às 19.05.15





Você sabe o que é e o que faz a Neuropsicologia?

Neuropsicologia: apesar de ser um termo conhecido por muitos, poucos sabem o que realmente significa e para que serve esta ciência. Trata-se da interface entre a Psicologia e a Neurologia, estudando relações entre o cérebro e o comportamento humano, e buscando compreender como lesões, alterações genéticas, malformações ou qualquer agravo que afete o sistema nervoso, pode causar déficits em diversas áreas do comportamento e cognição.
O profissional da Neuropsicologia, o neuropsicólogo, trabalha de forma integrada a outros profissionais como neurologistas, pediatras, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, professores, psicopedagogos e psicólogos, uma vez que a abordagem multidisciplinar faz-se necessária para abordar todos os aspectos de uma patologia cerebral.
Avaliação Neuropsicológica – o que é e quando devo procurar ajuda profissional?
A avaliação neuropsicológica é uma investigação aprofundada das funções cognitivas, sensoriais, motoras e sociais do indivíduo, com o objetivo de identificar algum comprometimento funcional neurológico, bem como as áreas que mantiveram-se preservadas. Para isto, realiza-se uma bateria de testes padronizados que analisam, detalhadamente, a relação entre comportamento e funcionamento cerebral, a fim de auxiliar no diagnóstico, na compreensão da extensão das perdas funcionais do indivíduo, estabelecendo tipos de intervenções específicas e desenvolvendo um plano de reabilitação.

A quem é indicado?

É indicada a pessoas de todas as idades. Em crianças, comumente investigam-se alterações comportamentais, dificuldades na aprendizagem escolar, devido a vários fatores como problemas de atenção, concentração, impulsividade, hiperatividade, compreensão, memória, leitura e planejamento, bem como dificuldades no relacionamento interpessoal.

Também podem-se investigar casos de traumas, epilepsias, demências, depressão, doença de Parkinson, transtornos psiquiátricos, transtornos do desenvolvimento, déficit cognitivo pós acidente vascular cerebral (AVC), déficit cognitivo pós-tumores, déficit associado ao uso de drogas, entre outras doenças neurodegenerativas, que podem estar presentes em todas as faixas etárias.

Qual sua aplicação e importância?

O diagnóstico precoce de algum distúrbio e do seu grau de evolução é de extrema importância para desenvolver um plano de reabilitação e garantir um bom prognóstico. A reabilitação é possível graças a um fenômeno chamado de plasticidade cerebral. O cérebro possui uma capacidade de se auto-regenerar, embora em escala modesta.

Uma vez identificado algum prejuízo funcional, pode-se contribuir para a inclusão social do indivíduo, por meio de novas estratégias para lidar com as limitações apresentadas e o desenvolvimento de suas potencialidades preservadas.

O neuropsicólogo assume o papel de ajudar na reestruturação das relações sociais, institucionais e a reorganizar hábitos de vida diária do paciente possibilitando uma maior qualidade de vida!

Extraído do www.equilibrioemvida.com
Data: 17 de Maio de 2019
author
ERALDO SALES
Psicólogo Clínico / CRP: 03/13407